top of page

Festividade celebra o “Día de los Muertos” no México




O México é um país de tradições ricas e festivais vibrantes, mas um evento se destaca como uma das celebrações mais marcantes e únicas do mundo: "Día de los Muertos", em uma tradução literal seria o Dia dos Mortos. A festividade que acontece entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro vai além de um simples ritual de luto, é uma celebração colorida da vida e da memória daqueles que já deixaram o plano terrestre, que encanta os mexicanos e os turistas. Mas como exatamente essa tradição se originou?

A história do "Día de los Muertos” é uma fusão de duas culturas - a espanhola e a indígena. Após a chegada dos espanhóis ao México no século XVI, eles trouxeram consigo suas próprias tradições de reverência aos mortos. No entanto, as origens do Día de los Muertos remontam as civilizações antigas que habitavam o México antes da chegada dos espanhóis. Os astecas e maias, por exemplo, tinham rituais que honravam os mortos e acreditavam na continuidade da vida após a morte. Essas crenças formaram a base das celebrações do Día de los Muertos.

Com a colonização espanhola, elementos do catolicismo foram introduzidos, levando à fusão de tradições indígenas e cristãs. O resultado foi essa grande festa que coincide com o Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados, eventos do calendário católico. O Día de los Muertos celebra a vida daqueles que não estavam mais entre os vivos. Essa é uma época em que os mexicanos se unem para lembrar e celebrar seus antepassados, fortalecendo a conexão entre as gerações passadas e presentes.

Existem várias formas de comemorar essa data por todo o México. Porém, confira abaixo os cinco principais símbolos do Dia dos Mortos no país:

1. Altares: Os altares do Día de los Muertos se tornaram um componente central, onde as famílias oferecem comidas mexicanas, fotografias e lembranças especiais em homenagem aos falecidos. Cada elemento do altar tem um significado simbólico, como velas que representam a luz que guia as almas de volta a terra.

2. Caveiras e Esqueletos: As caveiras e esqueletos são os símbolos mais famosos da comemoração mexicana. La Catrina é a caveira mexicana mais famosa, inspirada no quadro "La Calavera de la Catrina," de José Guadalupe Posada. Sua representação é política e social, simbolizando o esqueleto de uma dama da alta sociedade usando vestido e chapéu elegantes.

3. Flores: As flores são utilizadas para decorar toda a celebração do Dia dos Mortos, dos altares até as ruas. Elas representam beleza e a transição da vida. A flor mais conhecida e utilizada é a cempasúchil, uma flor amarela que lembra o Sol, que de acordo com a tradição asteca, guiava as almas dos mortos.

4. Papel Picado: O papel picado é uma arte tradicional que descreve perfeitamente como é feito. Os artesãos empilham papel de seda colorido em dezenas de camadas e, em seguida, perfuram as camadas com pontas de martelo e cinzel. O papel picado não é usado exclusivamente durante o Día de los Muertos, mas desempenha um papel importante no feriado. Envolta em altares e nas ruas, a arte representa o vento e a fragilidade da vida.

5. Celebrações Sociais: O Día de los Muertos é um feriado extremamente social, que se espalha pelas ruas e praças públicas a qualquer hora do dia e da noite. Vestir-se como esqueletos faz parte da diversão. Pessoas de todas as idades têm seus rostos artisticamente pintados para se assemelharem a caveiras e, imitando a calavera Catrina, vestem ternos e fantasias.

A Unesco, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, reconheceu em 2008 a importância do Día de los Muertos ao adicioná-lo à sua lista de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Isso destacou a riqueza cultural e espiritual da celebração, ressaltando sua importância para o povo mexicano.

O Dia dos Mortos também tem um impacto econômico significativo no México. Cerca de 7,5 milhões de turistas viajam para o país durante essa época, gerando uma receita estimada em mais de US$ 208 milhões, de acordo com a Secretaria de Turismo do México. Isso torna o feriado uma "colheita" no mercado de turismo mexicano.

O Día de los Muertos no México é verdadeiramente uma celebração única, que homenageia a vida e a memória dos entes queridos que já partiram. É uma oportunidade de apreciar a cultura e a rica herança do país, enquanto se envolve em uma celebração que funde o passado e o presente de maneira espetacular. Planeje sua viagem para vivenciar a magia do Día de los Muertos e experimentar a cultura mexicana.

Destinos para conhecer

Enquanto o Dia dos Mortos é celebrado em todo o México, algumas cidades se destacam por suas tradições e oferecem uma imersão profunda na cultura e na história:

Oaxaca: Conhecida como uma das cidades mágicas do México que oferece uma celebração encantadora. Pátzcuaro: Com suas ruas de paralelepípedos e casas antigas, é um cenário incrível para a celebração, com música, artesanato e desfiles de Catrinas. Janitzio: Uma ilha em Michoacán, se destaca por sua celebração especial com raízes indígenas Purépecha. Aguascalientes: Com o "Festival de las Calaveras," oferece caminhadas noturnas, exposições e altares deslumbrantes. Guadalajara e Cidade do México: Dois dos principais destinos do país que oferecem celebrações intensas, desfiles espetaculares, danças, música e festivais gastronômicos. A Cidade do México é o epicentro da celebração, onde o Zócalo se transforma em um centro de festividades com exposições temáticas, shows e uma ampla oferta de atividades.


Por Ascom, SPRINT Dados

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page