top of page

Alumia: Dados comparativos dos anos 2022 e 2023

No último dia 26 de fevereiro, a plataforma Alumia completou sete meses de funcionamento e tem disponível para os seus usuários os dados comparativos das informações turísticas publicadas, referentes aos anos de 2022 e 2023. Neste artigo, vamos explorar esses dados e lhe mostrar os principais indicadores do turismo disponíveis na Alumia.

Confira e baixe o infográfico no site da Alumia.


Se você deseja conhecer o turismo no Mato Grosso do Sul,leia algumas informações a seguir. Para garantir que você esteja sempre por dentro das informações mais recentes, não esqueça de visitar o site alumia.tur.br, onde as atualizações mensais esperam por você.


AÉREO: DESEMBARQUE NACIONAL


Ao compararmos os dados referentes à oferta de assentos disponíveis para venda com a quantidade de passageiros nos voos domésticos, podemos analisar a ocupação das aeronaves no Estado do Mato Grosso do Sul, nos meses de janeiro a dezembro de 2022 e 2023.

Em 2022, foram disponibilizados 1.025.068 de assentos, enquanto em 2023 esse número aumentou para 1.049.407. A ocupação das aeronaves também registrou um aumento significativo nesse período, passando de 72,9% em 2022 para 78,5% em 2023.



Em relação aos destinos de Campo Grande e Bonito, especificamente, os dados da ANAC revelam que a ocupação média em Bonito foi de 43,7% em 2022, aumentando para 51,3% em 2023, representando um crescimento de 17,4%. Já em Campo Grande, a ocupação foi de 75,3% em 2022, indopara 80,3% em 2023, refletindo uma ampliação de 6,6%.



De modo geral, a ocupação média das aeronaves no estado em 2023 foi de 7,7% maior, em comparação ao ano de 2022, indicando um acréscimo na demanda por voos domésticos.

Esses números refletem um cenário positivo para o setor aéreo e o turismo no Mato Grosso do Sul, levando-se em conta o crescimento da utilização dos serviços de aviação, tanto para destinos dentro do estado quanto para outros locais do país.


MOVIMENTAÇÃO TOTAL


De acordo com os dados da IATA, na conta “Movimentação Total”, é possível observarmos a quantidade de passageiros que chegaram ao Mato Grosso do Sul entre janeiro e novembro de 2022 e 2023.

Em 2022, o número de passageiros desembarcados foi de 667.596, enquanto em 2023 esse número aumentou para 743.523. Isto representa um aumento de 11,4% de passageiros desembarcados em 2023, em comparação com o mesmo período de 2022.

Esses dados demonstram um crescimento significativo no fluxo de passageiros que escolhem o Mato Grosso do Sul como destino, evidenciando o potencial turístico e a atratividade da região para visitantes.



ANÁLISE DE VENDA


Conforme os dados da IATA, podemos analisar a permanência dos visitantes no estado do Mato Grosso do Sul.

Em 2022, a permanência média dos visitantes foi de 6,07 dias; já em 2023 a permanência foi de 6,67 dias, representando um aumento de 4,9% no tempo médio de permanência dos visitantes em 2023, quando comparado a 2022.

O aumento na permanência dos visitantes aponta maior preferência por estadias mais longas no estado, o que pode ser atribuído a maior oferta de atrações turísticas, experiência mais completa e satisfatória dos visitantes, bem como estratégias de marketing e promoção mais eficazes.


TERRESTRE: CAMPO GRANDE


Levando em conta os desembarques na capital sul-mato-grossense, Campo Grande, observamos um crescimento no volume de chegadas, quando analisados os meses de janeiro a dezembro de 2022 e 2023.

Em 2022, o número de desembarques foi de 606.136; em 2023, esse número aumentou para 638.288, correspondendo a 5,3% de aumento nas chegadas.

O crescimento no volume de chegadas à Campo Grande indica uma maior demanda por viagens à capital do estado, o que pode ser atribuído a diversos fatores, como o aumento do turismo regional, a melhoria na infraestrutura de transporte e as estratégias de promoção turística.



PASSAGEIROS POR ORIGEM


Segundo os dados obtidos da AGEMS e da Rodoviária de Campo Grande, é possível identificar as principais cidades de origem dos passageiros que desembarcaram em Campo Grande em 2023. Entre elas, destacam-se São Paulo, liderando com 65.414 desembarques, seguida por Corumbá (64.706), Ponta Porã (56.279), Cuiabá (47.624), Brasília (44.162), Três Lagoas (39.728), Dourados (33.302), Mundo Novo (20.111), Rio de Janeiro (15.932), Goiânia (13.702), Porto Velho (13.235) e Belo Horizonte (12.571).

Esses dados evidenciam a diversidade de origens dos visitantes que chegaram à capital do Mato Grosso do Sul, destacando a importância de Campo Grande como polo receptor de turismo regional e nacional.


FLUVIAL: PASSAGEIROS TRANSPORTADOS


Observando as visitações a barcos-hotel, temos os números referentes ao total de passageiros que aportaram e  usufruíramas atividades turísticas ao longo dos rios sul-mato-grossenses.Os dados obtidos da Capitania Fluvial do Pantanal mostram que em 2022 foram transportados 23.133 passageiros. Em relação a 2023 esse volume recuou para 22.214, significando uma retração de 4% no total de passageiros.

A diminuição na procura sinaliza provável variação na demanda por esse tipo de experiência turística fluvial,podendo ser reflexo da dinâmica do mercado e possíveis mudanças nas preferências dos turistas.

Com base nos dados fornecidos pela ACORT, os principais passageiros que utilizaram barco-hotel em 2023, por estado de origem, foram: São Paulo, que lidera com 31% dos passageiros, seguido por Paraná (21%), Minas Gerais (14%), Mato Grosso do Sul (9%), Goiás (6%), Rio Grande do Sul (4%), Santa Catarina (3%) e Distrito Federal (2%).



PERFIL DO TURISTA EM BONITO


Dados coletados do Observatório de Turismo de Mato Grosso do Sul e do OTEB (Observatório do Turismo e Eventos de Bonito) mostram alguns padrões dos turistas que visitaram Bonito, mediante uma análise comparativa entre 2022 e 2023.

No quesito duração da viagem, observamos que em 2023 houve uma redução na permanência para 4,36 dias, em face de 4,92 dias registrados em 2022. Em relação ao gasto por dia, houve aumento significativo, passando de R$ 486,77 em 2022 para R$ 807,19 em 2023. Além disso, o fluxo de turistas que visitaram Bonito pela primeira vez aumentou ligeiramente de 36% em 2022 para 37% em 2023.

Conhecer mais sobre o turista, suas características e preferências são cruciais para o sucesso da atividade turística.Em análise às principais formas prioritárias de reserva, temos que em 2022 o tipo de acomodação mais utilizado foi hotel/pousada, representando 76% das reservas, seguido por casa de família/parente (10%) e casa alugada (7%). Já em 2023, hotel/pousada continuou sendo a opção predominante, com 67% das reservas, seguido por casa de parente/amigo (10%), casa alugada (6%), Airbnb (5%), e hostel (4%).

Outro perfil dos turistas que podemos verificar é relativo à proporção de visitantes estrangeiros que visitaram Mato Grosso do Sul, por país de origem. Conforme dados obtidos da IATA, em se tratando de país estrangeiro, temos que em 2022, os Estados Unidos lideraram com 29% dos visitantes, seguidos por Portugal (10%), Espanha (6%), Argentina (4%) e Itália, Japão, Reino Unido, França e México participaram com 3% cada um. Em 2023, os Estados Unidos mantiveram a liderança, com 39%, seguidos por Portugal (17%), França (8%), Argentina (6%), Espanha e Itália participaram com 3%cada um. Reino Unido, Chile e Japão contribuíram com 2% cada.



VISITAÇÕES: BONITO – SERRA DA BODOQUEMA


De acordo com o relatório da Alumia, a região da Serra da Bodoquema, em Bonito, apresenta os seguintes números,referentes à quantidade de visitas recebidas. Em 2022, as atrações registraram um total de 858.211 visitas, enquanto em 2023 o fluxo de visitas diminuiu para 838.642.

Ao considerar o total de visitações nos meses de janeiro a novembro de 2023, notamos leve redução em comparação a 2022. No entanto, é esperado que esse cenário se recupere com os dados de dezembro, seguindo a tendência observada nos demais indicadores apresentados.


HOSPEDAGEM: OCUPAÇÃO HOTELEIRA


Na análise da ocupação hoteleira nas principais cidades do estado, verificou-se uma evolução significativa no desempenho do setor ao longo dos meses. Em 2022, a média de ocupação foi de 51,58%, enquanto em 2023 esse número aumentou para 55,94%. Isso representa um crescimento de 8,4% na ocupação hoteleira do estado, indicando uma tendência positiva para a indústria do turismo em Mato Grosso do Sul.

Esse aumento na ocupação reflete não apenas a atratividade crescente da região como destino turístico, mas também o empenho e a capacidade do setor hoteleiro em atender ademanda dos visitantes.



MÃO DE OBRA


Ao analisarmos as contratações e demissões de pessoal no estado, conforme dados do CAGED, podemos observar a importância significativa do setor de turismo.

O saldo de Admissões Contratuais Temporárias (ACT's) manteve-se estável em 2022 e 2023, permanecendo em 2.440admissões em ambos os anos. No entanto, o saldo geral de contratações e demissões apresentou uma redução de 10.741 pessoas, passando de 46.285 em 2022 para 35.544 em 2023. Essa diminuição no saldo geral indica um cenário desafiador para o mercado de trabalho no estado. Por outro lado, a representatividade do turismo no total de contratações e demissões aumentou de 5,27% em 2022 para 6,86% em 2023, refletindo um crescimento de 1,59 pontos percentuais, apontando a relevância do setor turístico para a economia estadual.

A participação do turismo nas contratações e demissões evidencia sua contribuição para a geração de empregos e o desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul.



ECONÔMICO: ICMS MUNICIPAL


A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no estado do Mato Grosso do Sul teve um crescimento gradual ao longo do período analisado. Em 2022, a arrecadação atingiu a marca de 61,19 milhões de reais, enquanto em 2023 esse número subiu para 62,66 milhões de reais. Notavelmente, os meses de janeiro a novembro de 2023 apresentaram uma arrecadação total 2,4% maior do que foraarrecadado em 2022.

Esse crescimento na arrecadação do ICMS indica uma maior atividade econômica e um aumento do consumo de bens e serviços no estado, demonstrando um cenário positivo para a economia de Mato Grosso do Sul.

 

CONCLUSÃO


Os dados comparativos entre os anos de 2022 e 2023, fornecidos pela plataforma Alumia, revelam um cenário promissor para o turismo no Mato Grosso do Sul. Desde o aumento significativo na ocupação de voos domésticos até o incremento na média de permanência dos visitantes; os indicadores apontam para um crescimento consistente do setor. Além disso, os números também refletem uma maior movimentação terrestre e fluvial, indicando diversificação nos meios de acesso aos destinos turísticos do estado. Com o aumento na ocupação hoteleira e a contribuição do turismo para a economia local, é evidente que o Mato Grosso do Sul continua a ser um destino atrativo para visitantes nacionais e estrangeiros.

 

Os resultados positivos destacam a importância do setor turístico para o desenvolvimento regional e reforçam o compromisso da Alumia em fornecer informações atualizadas e relevantes para o planejamento e gestão do turismo no estado.

 

Quer mais dados e informações sobre o turismo do MS? Acesse os painéis interativos na plataforma: www.alumia.tur.br.

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page