top of page

MTur seleciona 10 cidades para se tornarem destinos turísticos inteligentes

Atualizado: 29 de jul. de 2023


Cataratas do Iguaçu (Foz do Iguaçu), Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco



No último dia 7 de junho, o Ministério do Turismo (MTur) divulgou o resultado final dos 10 municípios selecionados na Estratégia Nacional de Destinos Turísticos Inteligentes (DTI Brasil). Conforme a ordem de classificação, os contemplados são: Foz do Iguaçu (PR), Goiânia (GO), Ponta Grossa (PR), Santos (SP), Joinville (SC), Vila Velha (ES), Fortaleza (CE), São Luiz (MA), Gramado (RS) e Bonito (MS).


A partir de agora, essas cidades passarão por um diagnóstico que indicará uma estratégia para o desenvolvimento do turismo local, além da capacitação de gestores locais do setor. Todos os selecionados, após completarem o seu plano de transformação, receberão o certificado “DTI em Transformação”, emitido pelo MTur, o que não significa que sejam destinos turísticos inteligentes, mas que estão no caminho para essa transformação.


Cada destino selecionado irá definir o seu cronograma de implantação, com base nos resultados da avaliação realizada e de acordo com as principais necessidades e possibilidade de cada um, mas sempre seguindo os nove pilares: governança; inovação; tecnologia; sustentabilidade; acessibilidade; promoção e marketing; segurança; mobilidade e transporte; e criatividade.


Segundo o Ministério do Turismo, a Estratégia Nacional de DTI Brasil é dividida em dois ciclos. No primeiro, é realizado diagnóstico, capacitação e planejamento, onde se conhece a real situação da cidade selecionada; a partir disso, faz-se o desenho do plano de transformação que vai apoiar a cidade a se transformar em um DTI. Em seguida, no segundo ciclo, são executadas as ações do plano de transformação, para que a cidade consiga o selo “DTI Brasil”, contudo, para alcançá-lo é preciso passar por uma auditoria conjunta do Ministério do Turismo e de um ou mais representantes do Instituto Ciudades del Futuro, parceiro na iniciativa. Após, a cidade entra em um processo contínuo de melhoria, ampliando a capacidade de enfrentar novos desafios sociais, políticos, tecnológicos e econômicos.


A CEO da SPRINT Dados, Rayane Ruas, comenta que esse trabalho para tornar as cidades brasileiras em destinos turísticos inteligentes é essencial e transformador. “Um destino turístico inteligente diferencia-se dos demais por utilizar de tecnologia e melhor informação promover a qualidade de vida da população e melhor receber o turista. Nesse sentido, a utilização de dados e informações de qualidade é primordial para o sucesso das iniciativas e para alcançar o status de DTI. Afinal, somente com dados é que se pode fazer um bom planejamento e uma intervenção certeira, para que o destino possa se estruturar, diferenciar e encantar o viajante”, frisa.


Por Ascom, SPRINT Dados com informações do MTur

23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page